10 Belas Praias Desertas em São Paulo
03/10/2014

10 Belas Praias Desertas em São Paulo

Vale a pena conhecer praias ainda pouco exploradas, que exigem muito mais para você chegar, mas que irão te recompensar com cenários paradisíacos. O Desviantes recomenda 10 praias desertas em SP onde dá para mergulhar, pegar um bronze, relaxar, ou simplesmente se deliciar com a paisagem. De um modo geral, o acesso é por barco ou trilha, o que já é uma aventura. A água do mar costuma ser azul ou esverdeada e totalmente cristalina. Faça a sua programação para conhecer cada uma delas.

 

Praia Deserta 1: Praia do Sangava (Guarujá /SP)

O nome já é bem exótico. Em tupi-guarani, o  significado de Sangava é ‘alagado’ ou ‘empraiado’. A praia fica escondida entre pedras e vegetação alta, dificultando o o seu acesso e tornando o passeio mais emocionante. Praticamente deserta durante a semana, as visitas à praia acontecem mais aos sábados e domingos. Quem se aventura, não se arrepende ao encontrar uma praia com 90 metros de extensão de água clara, calma, cercada por muito verde. A beleza da paisagem recompõe todo o esforço da caminhada até a Sangava, que fica no sudoeste da Ilha de Santo Amaro.

Praia Deserta da Sangava Guaruja

Foto: Guarujá Agora

Vale a pena

Chegando, você se depara com uma piscina natural formada na maré cheia. Totalmente recomendada para fazer mergulho livre ou pesca submarina. Quem gosta de adrenalina pode tornar o passeio ainda mais ousado visitando uma caverna submersa bem profunda para ver corais e espécies de peixes que gostam de viver  escondidas na escuridão.

Como chegar na Praia

Você chega na Praia Sangava depois de uma hora e meia de caminhada, saindo do Bairro Santa Cruz dos Navegantes, no Guarujá. Prepare-se para enfrentar subidas e descidas acentuadas em direção ao Morro dos Limões, onde fica a Praia Cheira Limão, a menor da ilha que ganhou esse nome por causa do cheiro da fruta. Durante a trilha, chama a atenção os pássaros e as borboletas entre a vegetação.

Mas se você preferir encurtar caminho, pode sair de Santos, pegar a barca na Ponte dos Práticos, na Ponta da Praia sentido Praia do Góes. De lá, seguir pela trilha.

Outra opção é ir pelo mar, com jet sky, caiaque ou barco. Não se esqueça do repelente.

Distância de São Paulo: 100 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 2: Praia do Camburi (Guarujá/SP)

A 28 quilômetros do centro do Guarujá, a praia ainda é pouco conhecida, e consequentemente, frequentada por poucos. A faixa de areia é estreita; são 700 metros de extensão rodeados por mata e costões com ondas fortes e moderadas para fazer surf. Boa parte da Mata Atlântica compõe um belo cenário nativo. Do alto da floresta, um rio desagua no mar pertinho de uma casa habitada por um morador antigo na região.  

Praia Deserta do Camburi Guaruja

Foto: Loucos por Praia

Vale a pena
A praia é divida por uma grande pedra, aonde você pode curtir uma vista invejável. Mas é preciso muito cuidado e destreza no momento da subida. É recomendado para quem já é acostumado com escaladas. Outra dica é tomar um banho de cachoeira, com queda de oito metros, que você encontra durante o caminho.

Como chegar na Praia
O acesso é por trilha. O principal percurso é pela Praia Preta, 500 metros durante cerca de 20 minutos a partir do km 22 da estrada de Bertioga.  Para quem gosta de trajetos maiores, pode fazer o caminho de 800 metros, que começa na Praia Branca. Outro jeito de chegar à Praia de Camburi é de barco.

Distância de São Paulo: 126 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 3: Praia do Cedro (Ubatuba/SP)

A suspeita de muitos é que o nome da praia venha da árvore do Cedro, robusta e considerada medicinal, disponível no seu entorno. A praia fica na Enseada do Mar Virado, ao lado da Praia do Deserto, distante da civilização e ao lado de uma área extensa de  vegetação cerrada da Mata Atlântica. Para ser mais exato, está localizada em frente à Ilha do Mar Virado, sítio arqueológico habitado por pescadores da pré-história, segundo descobertas de pesquisadores da USP. É um lugar de poucos turistas, porém frequentado por caxinguelês e pequenos esquilos. No verão, a paisagem também se compõe por  tartarugas, golfinhos e até baleias, que migram pela região através das correntes marinhas. A Praia do Cedro é mais intimista no tamanho, mas grandiosa na sua beleza.

Praia Deserta do Cedro Ubatuba

 Foto: Loucos por Praia

Vale a pena

Em praticamente todo o ano, você pode mergulhar e ter a chance de ver uma paisagem belíssima. A fauna marinha é a grande atração das piscinas naturais, com a presença de peixes ornamentais, cavalos-marinhos, anêmonas, estrelas do mar, entre outras espécies.

Compensa também bater um papo com os pescadores locais, quase em extinção, para ouvir as suas mais variadas histórias sobre a região. A sabedoria dos primitivos ensina sobre como se defender do mar, algumas vezes com comportamento traiçoeiro.    

Como chegar na Praia

O percurso quem escolhe é você. Este é um percurso linear e pode ser iniciado pelas duas pontas. Começando pela Praia da Fortaleza, o caminho é mais curto, o tempo gasto é de 40 minutos; a partir da Lagoinha, é de aproximadamente 1 hora. Pelo caminho mais curto, você deixa o carro na Praia da Fortaleza e segue caminhando pelo Pontão da Fortaleza, que leva diretamente para a praia do Credo.

O caminho pela Laoginha é mais longo, mas também mais recompensador, você irá conhecer 7 praias inesquecíveis. Este é o trajeto conhecido como "Trilha das Sete Praias": Praia do Oeste, Praia do Perez, Praia do Bonete, Praia Grande do Bonete, Praia Deserta, Praia do Cedro e Praia da Fortaleza.

Por último, pescadores prestam o serviço de táxi-drive a partir da Praia da Lagoinha. Você pode combinar o trajeto para a volta da trilha.

Distância de São Paulo: 235 quilômetros da capital paulista

 

Praia Deserta 4: Praia Brava (São Sebastião)

A 29 quilômetros do centro de São Sebastião, a Praia Brava ficas nos costões entre Boiçuganga e Maresias.  Pertence a uma área protegida pelo Parque  Estadual da Serra do Mar, considerado um dos corredores biológicos restantes da Mata Atlântica que fazem a ligação entre a praia e o planalto. Cortada por riachos e cercada por vegetação nativa, a Brava fica escondida e isolada da civilização. As suas ondas fortes e  violentas atraem principalmente surfistas.   

Praia Deserta Brava em São Sebastiao

Foto: Andre Figueiredo

Vale a pena

Depois de uma caminhada extensa pela trilha da Praia Brava, você não pode perder a oportunidade de curtir a Cachoeira Brava, uma queda d’água natural no canto direito da praia. Com queda de dois metros, a cachoeira tem água potável e refrescante para o banho.

Como chegar na Praia

A caminhada para Praia Brava tem aproximadamente 2 km, leva cerca de uma hora e possui trechos de subida íngreme. A entrada para a trilha fica no km 162 da Rio – Santos, logo no início da subida para quem está saindo de Boiçucanga com destino a Maresias.

Distância de São Paulo: 167 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 5: Praia da Caveira (Ilhabela/SP)

O nome Caveira resume uma tragédia que ocorreu na região, em 1916. Segundo os fatos históricos,  o transatlântico inglês Príncipe das Astúrias afundou perto da Ponta de Pirabura, com mais de 600 pessoas a bordo. O naufrágio está a 100 metros da costa a uma profundidade de 18 a 45 metros. Com 50 metros de extensão, a praia fica no lado leste da Ilhabela entre as Praias da Serraria e da Guanxuma. No entorno das pedras submersas, muitas espécies de peixes e vegetação atraem mergulhadores que fazem pesca submarina. A clareza das águas favorece essa prática.  

Praia Deserta da Caveira Ilhabela

Foto: Hospeda Ilhabela

Vale a pena

Um belo cenário na Praia da Caveira é a existência de um banco de areia com vegetação, formados por depósitos de areia ou sedimentos perto da praia. Fica entre o mar e o rio que desagua no local.

Como chegar na Praia

A forma mais aventureira para se chegar até a praia da Caveira é através da praia de Castelhanos, de lá, é possível combinar com barqueiros para uma carona até a praia das Caveiras ou até a praia da Guanxuma, onde segue-se de trilha até a Caveiras. Para se chegar até Castelhanos existem duas opções. A primeira é por trilha partindo da Guarita do Parque Estadual, aproximadamente 5 horas de duração. A segunda é através da famosa Trilha do Bonete, partindo da ponta da Sepituba com pernoite na praia do Bonete e seguindo por trilha no dia seguinte até Castelhanos.

Para quem quer facilidade, uma alternativa é de barco pelo meio da baía. Leva 45 minutos para chegar. A lancha parte da Praia do Perequê.

Distância de São Paulo: 200 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 6: Praia da Lage (Ilha do Cardoso/SP)

A Praia da Laje fica escondida nas encostas da Ilha do Cardoso, transformada em Parque Estadual com 90% de área coberta pela Mata Atlântica, no município de Cananéia. Fica entre a Praia do Marujá e a Praia do Camburiu. Suas características geográficas apresentam uma larga extensão de areia. É por ali que  se formam piscinas naturais de água doce. Por ser um local de difícil acesso, a praia é pouco frequentada. Para usufruir da beleza da praia é preciso percorrer 10 quilômetros. Ali é exercida a pesca de linha ou arremesso.

Praia Deserta da Jage Ilha do Cardoso

Piscinas Natuais Ilha do Cardoso Laje

Fotos: Alécio Cezar

Vale a pena

A melhor atração desse passeio são as Piscinas da Lage, três poços para banho. Para chegar é preciso fazer a trilha a partir da Praia do Marujá, acompanhada sempre por um guia que pode ser contratado na própria Vila do Marujá. São 24 quilômetros de ida e volta por oito horas. Você percorre uma mata densa, cruza alguns rios, praias, costões rochosos, passa a Praia de Lage para chegar nas piscina formadas pelo Rio Cambriú. Pode matar a sede com água fresca e potável, direto da fonte, encontrada durante o percurso.

Como chegar na Praia

A trilha que leva até a Praia da Lage começa na Praia do Marujá, seguindo para o Costão Rochoso, onde é necessário mais cuidado por causa das pedras lisas. São seis quilômetros andando pelas areias, por pelo menos uma hora.

De Cananéia à Vila do Marujá, a travessia é feita de barco. 

Distância de São Paulo

272 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 7: Praia da Raposa ( Ubatuba/SP)

De difícil acesso, a Praia da Raposa, pouco habitada, é cercada pela Mata Atlântica, com altos costões. Pela presença de bromélias, heliconias e árvores frutíferas, a região foi batizada de ‘paraíso dos aromas e sabores’. Fica a 32 quilômetros do centro de Ubatuba, na área considerada como o primeiro Quilombo do litoral norte paulista. Reúne muitas histórias da época da escravidão. Durante o percurso, avista-se ruínas, rodas d’água e pilastras desse período. A praia é considerada apropriada para pesca e, principalmente, para descansar.

Praia Deserta da Raposa Ubatuba

Foto: Rafael Fernando

Vale a pena
A  costeira no canto esquerdo da praia é uma das atrações do local, onde também se encontra água doce. É indicado para mergulho com  snorkel, que permite a respiração na superfície sem tirar o rosto da água, porém sempre na companhia de um guia.

Como chegar na Praia
Dá para ter acesso à Praia da Raposa por trilha de nível médio a difícil a partir da Praia do Pulso ou da Praia da Caçandoquinha. Além da beleza natural, pelo caminho você se depara com ruínas históricas da época da escravidão. Ali se encontram casas de pau a pique, habitadas por moradores do Quilombo. O acesso de barco é a partir da Praia do Pulso ou da Praia da Caçandoca.

Distância de São Paulo: 201 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 8: Praia de Camburi das Pedras (Ubatuba/SP)

A 45 quilômetros do centro de Ubatuba, a Praia de Camburi das Pedras está localizada no Núcleo Picinguaba, uma área preservada do Parque Nacional da Serra do Mar. É uma das três praias que compõem a Camburi, última praia do litoral norte na Mata Atlântica, que abriga uma vila de pescadores. O mar é calmo praticamente todo o ano e as águas são claras, favorecendo quem gosta de fazer mergulho livre e de nadar. A região inclui várias passeios como trilhas pela mata e banho de cachoeiras.

Praia Deserta de Camburi das Pedras

Foto: Desviantes

Vale a pena

A trilha para a Vila de Trindade (RJ) é um dos passeios mais atraentes da região. Em aproximadamente cinco horas, você enfrenta uma mata fechada com bifurcações formadas pelos palmiteiros, que podem confundir e tirá-lo do caminho. Daí a importância de seguir sempre próximo ao costão. O ponto inicial é na Praia de Camburi (SP) e termina na Praia do Caxadaço, em Trindade. Para chegar em Camburi, pegue um ônibus e desça na estrada do km 1 da Rio-Santos, em frente à Cachoeira da Escada.

Como chegar na Praia
O caminho para a Praia do Camburi das Pedras é por uma estrada de três quilômetros localizada no km 1 da Rodovia Rio-Santos (BR 101), em frente à Cachoeira da Escada.

Distância de São Paulo: 165 quilômetros da capital


Praia Deserta 9: Praia do Caramborê (Peruíbe/SP)

Com uma extensão de 310 metros e largura média de 69, a Praia do Caramborê fica na Estação Ecológica da Juréia-Itatins, preservando 80 hectares de Mata Atlântica. A faixa de areia, escura e firma, se integra com a vegetação de restinga. Dois riachos desaguam no lado esquerdo e no centro da praia, cercada por morros. A região é um lugar excelente para quem aprecia o ecoturismo, trilhas e cachoeiras.

Praia Deserta Peruibe Cambore

Foto: Andre Pimentel

Vale a pena
Por uma trilha leve, que dura uma hora, você tem acesso a quedas d’água de quatro metros que formam piscinas naturais para banho.

Como chegar na Praia

O acesso é pela trilha que sai de Caramborê, a partir da estrada Peruíbe-Una. São 10 minutos de caminhada. Outra opção para chegar na praia é pela trilha do Imperador, que fica dentro da Estação Ecológica Juréia-Itatins

Distância de São Paulo: 135 quilômetros da capital

 

Praia Deserta 10: Praia do Cabelo Gordo (São Sebastião/SP)
Fica numa área ambiental preservada e exclusiva para pesquisas do Centro de Biologia Marinha da USP, a seis quilômetros do centro histórico de São Sebastião. Não há acesso direto para a praia, mas ela pode ser visitada pelas pedras a partir da Praia das Pitangueiras. Esse caminho é recomendável apenas em maré baixa. Quem quiser pode conhecer e fotografar a região; banho de mar, pesca ou coleta de quaisquer animais e vegetais são proibidos.

Praia Deserta do Cabelo Gordo Sao Sebastiao

Foto: Praias 360

Vale a pena

Você pode participar de visitas monitoradas, com duração de duas horas,  promovidas pelo  Centro de Biologia Marinha da USP para conhecer a praia e os costões rochosos. Ainda é apresentada a sala de tanques e aquários com água do mar corrente. As pessoas podem, inclusive, tocar nos organismos vivos que estão em estudo.

Como chegar na Praia

O acesso de carro é pela Rodovia Ayrton Senna, Rodovia Carvalho Pinto e Rodovia dos Tamoios (SP-99) até Caraguatatuba. Depois é seguir para São Sebastião pela Rodovia Dr. Manoel Hypólito do Rego (SP-55) até o km 131,5,  onde fica o Centro.

Outro caminho é pelo Sistema Anchieta-Imigrantes até a Rodovia Piaçaguera-Guarujá (SP-140), próxima de Cubatão. Siga até a Rodovia Dr. Manoel Hypólito do Rego (SP-55) em São Sebastião, a cerca de 1 km, após a Praia de Barequeçaba, no km 131,5, está o Centro.

Mais uma opção para chegar é pegar o ônibus com destino à Praia do Guaecá, parar em frente ao portão do Centro. Solicite ao motorista que pare no Ponto do Laboratório da USP ou Ponto do CEBIMar. Alguns ônibus, como os que vêm de Santos, Mogi e São Paulo (via Bertioga), passam em frente ao portão do CEBIMar antes de chegar à Rodoviária.

Distância de São Paulo: 204 quilômetros da capital

 

ica Desviantes:

O Desviantes é um buscador de passeios e atividades na natureza

Mergulho em Bombinhas  Confira os roteiros e atividades oferecidos pelo Desviantes em São Paulo

hospedagem  Saiba onde se hospedar nos lugares mencionados aqui.

Silas Barbi

Praticante de trekking, escalada, mergulho livre e profissional de marketing por formação. Acredita em mundo com menos rotina e mais aventura. Suas duas paixões são o Brasil e a Natureza e não é por acaso que o seu principal objetivo de vida é levar as pessoas para conhecer as belezas naturais do Brasil.