7 trilhas em São Paulo para os amantes de Trekking
01/05/2017

7 trilhas em São Paulo para os amantes de Trekking

Pico dos Marins
Maior montanha localizada totalmente dentro do estado de São Paulo, o Pico dos Marins se encontra na Serra da Mantiqueira, próximo aos municípios de Piquete e Cruzeiro (ao contrário do maior pico do estado, a Pedra da Mina, cujo cume fica na divisa com Minas Gerais e, portanto, não fica totalmente dentro de São Paulo), e o seu cume está a 2.420 metros de altitude. A trilha para chegar ao seu topo é considerada de nível difícil, principalmente para aqueles que não estão acostumados com trekking. Apesar de ser somente quinze quilômetros (ida e volta), seu terreno é rochoso e suas subidas íngremes. A maior parte da trilha segue em campos de altitude, onde praticamente não existem sombras, o que significa que pode ser uma caminhada desgastante em dias de muito sol.



  Conheça a nossa viagem para subir o Pico dos Marins


Pedra do Baú
Também situada na Serra da Mantiqueira, especificamente na cidade São Bento do Sapucaí, no estado de São Paulo, a Pedra do Baú é uma impressionante formação rochosa de quase dois mil metros de altitude que, juntamente com o Bauzinho (com 1.760 metros) e a Ana Chata (com 1.670 metros), compõe o Complexo do Baú. A trilha é curta, apenas dois quilômetros, e não exige muito físicamente. Mas é um percurso técnico, que exige o uso de equipamentos de segurança (será necessário escalar uma escadaria fixada em seu paredão) e o terreno é rochoso.



  Conheça a nossa viagem para subir a Pedra do Baú


7 praias de Ubatuba
Ubatuba é uma das praias mais frequentadas do litoral norte do estado de São Paulo, fato que se deve não apenas à sua beleza, mas também à quantidade de praias que abriga, sendo a maioria delas ainda quase desertas. Por isso, a “Trilha das Sete Praias”, como é conhecida, se tornou uma atividade e atração muito popular, principalmente para os amantes do trekking – no percurso, você passará pelas praias da Lagoinha, do Oeste, do Peres, do Bonete, do Cedro Sul, Grande Bonete e Deserta, sendo dez quilômetros de um trekking fácil/moderado.



  Conheça a nossa viagem para fazer a Trilha das 7 Praias


Pico do Lopo
A Serra do Lopo, uma incrível região localizada no pequeno município de Extrema, no estado de Minas Gerais, e que é uma ramificação da grandiosa Serra da Mantiqueira, abriga um pico que leva seu nome e cujo cume, que vai até 1.780 metros de altura, se parece com um homem deitado se visto da base e, por isso, ficou conhecido como “Gigante Adormecido”. A trilha que leva até seu topo é considerada fácil e ideal para iniciantes, pois são aproximadamente dez quilômetros (no total) de um caminho bem demarcado e sem muitas dificuldades. Apenas o trecho final, antes de chegar ao cume, é mais exigente e exige o uso de cordas. O percurso passa por cenários mineiros muito bonitos e lá de cima a vista é incrível, tem-se a visão das montanhas da Serra da Mantiqueira, da cidade de Joanópolis e da represa Jaguari-Jacareí.



  Conheça a nossa viagem para subir o Pico do Lopo


Trilha do Ouro
Um atrativo cheio de história, trata-se de um antigo caminho colonial construído no século XVII para escoar o ouro que vinha de Minas Gerais; atualmente, essa travessia se tornou uma das melhores maneiras para os aventureiros que procuram conhecer o Parque Nacional da Serra da Bocaina de ponta a ponta, já que a trilha percorre desde o pequeno município de São José do Barreiro, no Vale do Paraíba em São Paulo, até a vila de Mambucaba, no litoral do Rio de Janeiro. Como é um caminho muito extenso, com cerca de cinquenta quilômetros percorridos ao longo de três dias de caminhada moderada, e também por conta de seu terreno acidentado e de sua altitude, que pode chegar a mais de 1.500 metros, é considerado um trekking exigente físicamente, mas de baixa dificuldade técnica. E no fim, todo esforço é recompensado com as cachoeiras e mirantes que surgem no caminho.



  Conheça a nossa viagem para fazer a Trilha do Ouro


Vale das Ostras
Situado na Área de Proteção Ambiental dos Quilombos do Médio Ribeira, na comunidade quilombola do Sapatú, em Eldorado, sul do estado de São Paulo, o Vale das Ostras é uma exuberante trilha em meio à mata atlântica que abriga várias belezas naturais como cachoeiras, piscinas naturais e cavernas, sendo formado pelo Ribeirão das Ostras e atravessando a famosa Caverna do Diabo. A trilha é considerada de nível fácil a moderado (não exige muito esforço físico, mas deve-se gostar de caminhadas), com aproximadamente seis quilômetros a serem percorridos e passando por doze cachoeiras no caminho, sendo a última delas a grande recompensa – a cachoeira do Meu Deus, com mais de cinquenta metros de altura, e que foi eleita a mais bonita de todo o estado de São Paulo.



  Conheça as nossas viagens para o Vale das Ostras


Juréia-Itatins
A Estação Ecológica de Juréia-Itatins (EEJI), situada ao litoral sul do estado de São Paulo, na região da Baixada Santista, abrange um território de oitenta mil hectares de mata atlântica que se distribui pelos municípios de Iguape, Miracatu, Itariri, Pedro de Toledo e Peruíbe, abrigando um mosaico de belezas naturais muito bem preservadas, como cachoeiras, rios, costões e praias quase desertas. Nessa trilha, cujo nível é moderado (alguns trechos exigem certo esforço físico, como algumas subidas íngremes e travessias por costões rochosos) e com uma distância de doze quilômetros, você poderá explorar a região e conhecer oito belíssimas praias selvagens, sendo elas a Barra do Una, Caramborê, Desertinha, do Guaraú, Parnapuã, Arpoador, Guarauzinho e Brava.



  Conheça as nossas viagens para fazer a caminhada das Praias Desertas da Juréia

Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonito do mundo.