Atrações e cachoeiras da Lapinha da Serra
30/10/2018

Atrações e cachoeiras da Lapinha da Serra

Foto da Capa: Mochileiros


Lapinha da Serra, um pequeno vilarejo ainda pouco conhecido e explorado turisticamente, está escondido entre a Serra do Cipó e a Serra do Espinhaço, a cerca de 140 quilômetros de Belo Horizonte, e nem mesmo chega a ter uma população de mais de 500 habitantes. No entanto, o que falta em tamanho, ela compensa em muita grandiosidade quando se trata de sua natureza – sua paisagem magnífica é formada por imensos picos e montanhas, lagos, belas cachoeiras e poços cristalinos, grutas, sítios arqueológicos e muitos outros atrativos de tirar o fôlego e que, ultimamente, vem ajudando cada vez mais esse lugar a crescer como um dos mais novos e impressionantes destinos de ecoturismo e turismo de aventura.


Foto: Guia Lapinha da Serra

Para quem tem interesse em conhecer essa região rica e abundante em tantas belezas naturais, é também importante saber que, por ser uma vila ainda pequena, não conta com ótima infraestrutura turística e não possui muitas opções de pousadas e restaurantes (no entanto, as que existem são excelentes), mas há opções de casas para alugar ou então campings, este último sendo ideal principalmente para quem pretende entrar em mais contato com a natureza. Essa simplicidade de seu povoado permanece desde o século XVIII, quando o local era utilizado para mineração de diamantes, e, até hoje, é uma região bastante rústica, mas extremamente charmosa.

No entanto, o que realmente encanta e merece destaque na Lapinha da Serra são suas muitas e belíssimas atrações naturais. Por isso, nós separamos as mais imperdíveis delas que ninguém pode deixar de explorar quando visitar esse novo destino exuberante.


1. Cachoeira do Lajeado

Uma das mais famosas cachoeiras da região, trata-se de uma queda de aproximadamente 40 metros que deságua de um impressionante paredão rochoso e forma um poço mais impressionante ainda, o que deve-se não apenas por seu tamanho e profundidade, que já fazem deste um dos melhores pontos de mergulho e banho da Lapinha, mas também por conta de suas águas extremamente cristalinas. Para chegar até essa cachoeira, você pode optar entre encarar uma trilha de duas a três horas, mas que é considerada tranquila e leve – são onze quilômetros de ida e volta às margens do lago – ou, se preferir, há também uma divertida opção de fazer o percurso pelo lago através de passeio de canoa ou caiaque.


Foto: Roda Mundo

2. Poço do Soberbo

O maior poço natural de toda a região da Serra do Cipó, o Soberbo possui uma profundidade de 18 metros, diâmetro de 30 metros e suas águas são ainda alimentadas por três diferentes corpos d’água (um ribeirão, um rio e um córrego), fazendo deste um local extremamente amplo e maravilhoso para nadar. Além disso, a paisagem ao redor do poço é de tirar o fôlego, uma vez que ele é formado por incríveis escarpas rochosas e abrange ainda em sua proximidade um cânion por onde o Rio das Pedras atravessa, mas o que realmente torna esse um dos atrativos mais interessantes e imperdíveis da Lapinha é o fato de haver tantos mistérios e lendas que o circundam. No entanto, para chegar até ele, é necessário encarar uma trilha bastante difícil, sendo um percurso de 18 quilômetros (ida e volta) que exige disposição e também um guia – mas acredite, a recompensa de todo esforço feito é grande e você não irá se arrepender!


Foto: Serra do Cipó

3. Cachoeira Paraíso

Diferentemente da Cachoeira do Lajeado, a do Paraíso, apesar de igualmente espetacular, é somente para contemplação, pois como suas águas são usadas para abastecer a vila e são consumidas pelos moradores, é proibido mergulhar em seu poço. Mesmo assim, é uma atração que vale muito a pena a visita devido ao verdadeiro espetáculo da natureza que representa, com sua imensa queda e o grande volume d’água que possui, tudo isso emoldurado por um mar de verde que cerca o local completamente.


Foto: Pegadas na Estrada

4. Poço do Boqueirão

Uma das atrações mais visitadas da Lapinha da Serra, tanto por ser um ótimo local para mergulho e banhos refrescantes quanto por causa de seu fácil acesso, o Poço do Boqueirão possui águas mais escuras, de tom caramelo, mas que são extremamente cristalinas, além de contar ainda com vinte metros de profundidade – não é à toa que tantos turistas e até os moradores locais procuram esse lugar para passar principalmente os dias quentes de muito sol.


Foto: Trilhas e Cliques

5. Travessia Lapinha – Tabuleiro

Considerado um dos trekkings mais impressionantes e clássicos do país, a travessia que tem saída da Serra da Lapinha tem como destino final a imponente Cachoeira do Tabuleiro, mais alta cachoeira do estado de Minas Gerais e terceira maior do Brasil, com pouco mais de 270 metros de altura. Apesar de ser uma trilha desafiadora e longa – 30 a 40 quilômetros de extensão, percorridos em até três dias, dependendo da rota que você escolher –, as paisagens que você encontrará durante o trajeto são tão extraordinárias que você nem lembrará do cansaço e se sentirá extremamente privilegiado em estar rodeado por tanta exuberância da natureza.


Cachoeira do Tabuleiro - Foto: Lugares Fantásticos

6. Pico da Lapinha

O segundo ponto mais alto da Serra do Cipó, com 1.686 metros de altitude, este pico descortina uma vista panorâmica extremamente deslumbrante e encantadora da Serra da Lapinha – não é à toa que é o cartão-postal do destino. A trilha para chegar até lá pode ser um tanto cansativa, uma vez que são 10 quilômetros (ida e volta) de um trajeto íngreme e pedregoso, mas, durante o percurso, é possível achar outros atrativos onde você pode fazer paradas e descansar – é preciso fazer desvios da trilha, mas são rápidos e totalmente recompensadores, principalmente nas cachoeiras (como a do Rapel e do Paraíso), para que você possa se refrescar com um delicioso mergulho antes de continuar a caminhada até chegar ao topo e finalmente se maravilhar com uma paisagem de tirar o fôlego.


Foto: Toramo Morato

7. Pico do Breu

Apesar da diferença mínima de um metro em comparação ao Pico da Lapinha, seu vizinho, o Pico do Breu, com seus 1.687 metros de altitude, ganha o título de ponto mais alto da região da Serra do Cipó. O trajeto para chegar ao seu topo é mesmo que o do Pico da Lapinha e os atrativos e a paisagem que se tem também são as mesmas – o grande destaque que separa estes dois picos é que, na base do Pico do Breu, você pode encontrar um incrível sítio arqueológico repleto de fascinantes pinturas rupestres, esqueletos humanos e animais, vestígios de civilizações que habitavam a região há mais de dez mil anos e muito mais.


Foto: Mochileiros

Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonitos do mundo.