Melhor época para viajar e ir para Alter do Chão
02/12/2016

Melhor época para viajar e ir para Alter do Chão

Foto da Capa: Cavalo Marinho

Alter do Chão, uma pacata aldeia de pescadores situada na cidade de Santarém, no estado do Pará, abriga tantas belezas naturais que ganhou – e merecidamente – o apelido de “Caribe amazônico”, contando com praias de águas doces que já foram até mesmo consideradas pelo jornal inglês The Guardian como as mais bonitas do Brasil. Um paraíso de areias brancas às margens das águas claras e mornas do rio Tapajós, essa região em plena selva reúne um cenário exuberante composto por uma riquíssima e diversificada fauna e flora, formada principalmente de vegetação nativa e animais marinhos; por lagos e espelhos d’água; e por um de seus maiores fenômenos naturais, o encontro das águas azuis do rio Tapajós com as águas marrons do rio Amazonas, que se cruzam mas não se misturam.

Se gostar e quiser conhecer esse paraíso, clique e confira nossos pacotes de viagem para Alter do Chão



Antes de planejar sua viagem para Alter do Chão, é importante saber que as paisagens mudam totalmente do verão para o inverno, pois as estações não são necessariamente vinculadas com solstícios e equinócios, e, sim, definidas como épocas de cheia ou de estiagem. Por isso, o regime de chuvas e o nível do rio poderá influenciar muito sua experiência no local – por exemplo, quanto mais seco estiver o tempo, maior será a faixa de areia que o Tapajós irá expor; já quando o volume d’água chega ao seu máximo, grande parte das praias ficarão quase completamente encobertas.


Foto: Cavalo Marinho

O verão é a estação da seca, que vai entre os meses de Agosto a Dezembro. No entanto, a partir de Junho, as águas já começam a baixar e, em Agosto, as praias reaparecem, deixando à mostra todas as suas belezas emolduradas pela extensa faixa de areia branca, barracas de sapê e abundante vegetação em seu entorno. O mês de Novembro pode ser um dos mais bonitos para ir a Alter, já que é quando o volume d’água atinge seu nível mais baixo e, consequentemente, quando as árvores carregam de flores, e os animais são vistos com mais frequência por causa do período de reprodução.



É também no verão, mais especificamente no mês de Setembro, que acontece uma das festas mais antigas e tradicionais da região, a Sairé, manifestação da cultura popular da Amazônia que ocorre há cerca de 300 anos e reproduz em cores, personagens e ritmos, o. De dia, é primeiramente feito um ritual religioso que dura até a noite, quando começa uma cerimônia de rezas e, finalmente, termina com shows artísticos, apresentações de danças típicas e muitas comemorações.


Foto: Jeso Carneiro

Já o inverno é a estação chuvosa, que vai entre Janeiro a Julho, aumentando consideravelmente o volume d’água e podendo alterar o nível do rio em até sete metros. Mesmo encobrindo e escondendo suas praias, o inverno paraense proporciona outros tipos de paisagens e de passeios, tão belos e encantadores quanto os do verão, onde o visitante terá ainda mais tempo e liberdade para explorar toda a região, pois é quando Alter volta a ser a pacata aldeia. É o período perfeito para conhecer as lojas de artesanato e a bela Floresta Encantada, passeio popular para admirar espécies de animais e vegetações típicas da Floresta Amazônica.




  Quer ir mais a fundo? Conheça os pacotes de viagem do Desviantes para Alter do Chão

Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonito do mundo.