OFERTAS BLACK FRIDAY
Chapada Diamantina ou Chapada dos Veadeiros?
17/10/2016

Chapada Diamantina ou Chapada dos Veadeiros?

Chapada Diamantina ou Chapada dos Veadeiros? Como escolher entre esses dois destinos maravilhosos?

Um alerta: Você vai precisar escolher qual Chapada conhecer primeiro porque as duas são únicas e merecem a sua visita 😁

>Depois de ler a matéria, você pode entrar no Desviantes e ver as opções de pacotes para a Chapada dos Veadeiros e para a Chapada Diamantina.

A Chapada Diamantina é, sem dúvidas, uma das regiões mais ricas e exuberantes do Brasil, pois conta com uma abundância de paisagens naturais capazes de tirar o fôlego do viajante mais experiente e uma grande variedade de atrativos que vai desde algumas das mais altas e imponentes cachoeiras e imensos paredões e desfiladeiros até seu próprio pantanal semiárido baiano que abriga fauna e flora típicas do local. Destino perfeito tanto para quem procura paz e tranquilidade quanto para quem prefere atividades com aventura e emoção, a Chapada oferece centenas de opções para agradar a todos os tipos de turistas, já que abrange uma área total de setenta mil quilômetros quadrados distribuídos em 24 municípios, sendo necessário no mínimo cinco dias para conhecer pelo menos suas principais atrações.



Entre essas atrações estão a Cachoeira da Fumaça, segunda maior do Brasil, cuja queda possui quase 400 metros de altura; os poços Azul e Encantado, de águas cristalinas com tons azuis-turquesas; as cachoeiras do Buracão e da Fumacinha, duas das mais imponentes e belas da região, ambas localizadas no município de Ibicoara; o Morro do Pai Inácio, o principal cartão-postal da Chapada, com mais de mil metros de altura; Marimbus, uma ampla área alagadiça que abriga plantas aquáticas e diversas espécies de peixes; as grutas Azul e da Pratinha, situadas na mesma propriedade e cujas águas transparentes possuem um incrível tom azulado; o Complexo Arqueológico Serra das Paridas, que abriga dezoito sítios arqueológicos com pinturas rupestres; o Cachoeirão, a quarta maior cachoeira do Brasil, com 270 metros; e o Vale do Pati, considerado um dos mais percursos mais bonitos e cênicos de trekking da América do Sul.



Esses são apenas alguns dos atrativos da Chapada Diamantina, e é praticamente impossível conhecer toda a região devido ao seu tamanho e à quantidade de coisas para ver e fazer. Mas as atrações não se limitam à natureza – há também muitas atividades culturais para visitar, como o Casario de Lençóis, que preserva o casario colonial do final o século 19; o Cemitério Bizantino, cuja curiosa construção abriga miniaturas de igrejas e capelas em formas góticas e pontiagudas; e o Museu Vivo do Garimpo, com acervo que apresenta ferramentas de lapidação do diamante e de garimpo, roupas e outros artefatos da época.


Foto: Gabriel T Almeida

O clima da Chapada é muito diferente do restante da Bahia por causa de sua altitude e por possuir muitas áreas verdes e rios. Possui duas estações bem definidas: a quente e úmida, que ocorre entre Novembro a Abril, com temperaturas máximas de 30°C e mínimas de 20°C; e o período seco, que vai de Maio a Outubro e apresenta temperaturas que variam de 25°C (máxima) a 17°C (mínima). A melhor época para explorar a região é durante esses meses mais frios, quando já se passaram as chuvas do verão que enchem o volume dos poços e rios.

Quanto ao acesso à região, dependendo de seu destino de partida, pode ser um pouco complicado e caro. A melhor opção é a partir de Lençóis, considerada a “capital” da Chapada Diamantina e também a principal porta de entrada do Parque, sendo possível chegar lá através de carro, ônibus ou avião a partir de Salvador (são 400 quilômetros de distância entre as duas cidades). No entanto, para quem prefere viagens de avião, a Azul Linhas Aéreas opera os voos Salvador–Lençóis e Belo Horizonte - Lençóis regularmente duas vezes por semana (quintas e domingos). Para quem sai de São Paulo, existe a opção de voos saindo de Guarulhos e de Campinas que se conectam com os voos de Salvador e Belo Horizonte.



  Quer ir mais a fundo? Confira os roteiros do Desviantes para a Chapada Diamantina


A Chapada dos Veadeiros, apesar de também possuir diversas paisagens naturais tão exuberantes quanto as da Diamantina, possui suas próprias características que a distingue de todas as outras. Por exemplo, um de seus maiores destaques que fazem da região tão diferente e especial é o esoterismo, sendo um dos lugares mais místicos do Brasil por causa da presença dos cristais de quartzo e das pinturas rupestres e por estar localizado na mesma latitude de Machu Picchu. Esse misticismo, aliás, se tornou tão popular que a Chapada é hoje considerada uma fonte de fortificação e curas espirituais para grupos de místicos, espiritualistas, hippies, naturalistas, entre outros.



Além disso, suas paisagens naturais, compostas por cachoeiras, piscinas naturais, cânions, rios, formações rochosas de mais de um bilhão de anos e uma riquíssima e diversificada flora e fauna, dão vida a várias de suas mais belas atrações. Entre as principais delas estão a Cachoeira Santa Bárbara, com seu deslumbrante poço de tons azuis-esverdeados; o Vale da Lua, conjunto de rochas esculpidas pelas corredeiras das águas do rio São Miguel por mais de 600 milhões de anos que se parecem com crateras lunares (daí a origem do seu nome); o Mirante da Janela, que descortina a vista mais privilegiada da região; as cachoeiras Raizama, situada dentro de um cânion de cem metros de extensão que a torna ideal para a prática de atividades de aventura como o canionismo, e dos Saltos do Rio Preto, com duas quedas de 120 e 80 metros; e as piscinas de águas termais, com temperaturas que chegam até 33 graus e são perfeitas para banhos relaxantes.


Foto: Ion David

Outros atrativos da Chapada ainda incluem passeios mais culturais, como a visita às comunidades Kalunga, povo descendente de quilombolas (escravos que fugiram do cativeiro) que habitavam a região há mais de 200 anos. Reconhecida pelo governo de Goiás como patrimônio histórico e cultural brasileiro, ocupa uma área de mais de 230 mil hectares de cerrado protegido, é a maior comunidade remanescente de quilombo do Brasil e turistas podem ainda contratar um guia Kalunga para acompanhá-los nos passeios.


Foto: Sergio Amaral/MDS

O clima da Chapada dos Veadeiros é ameno, com uma temperatura média anual de 24°C a 26°C, mas suas estações também são bem definidas – no período de chuvas, entre Outubro a Março (sendo Dezembro o mês mais chuvoso), o volume dos rios e das cachoeiras estão mais cheios, mas a água, que é normalmente muito cristalina, pode se tornar um pouco barrenta. Já no período da seca, que vai entre os meses de Abril a Setembro (principalmente durante os meses do inverno, entre Junho a Agosto), as chuvas desaparecem, trazendo um clima mais seco de montanha e fazendo desta época a mais ideal para visitar a região, ainda mais para quem irá praticar atividades de aventura por lá, como o trekking.

Já o acesso é muito mais fácil, principalmente se comparado com a Chapada Diamantina. Você pode pegar voos diários para Brasília e, a partir de lá, basta seguir de transfer até aos municípios de Alto Paraíso ou São Jorge, sendo apenas cerca de 200 quilômetros de distância.

  Quer ir mais a fundo? Confira os roteiros do Desviantes para a Chapada dos Veadeiros

Escolher entre a Chapada Diamantina ou Chapada dos Veadeiros realmente não é uma tarefa fácil. São as condições da sua viagem, tais como, tempo disponível, orçamento, perfil do grupo e período do ano que vão te indicar qual o melhor destino para o momento. A nossa dica é simples. Faça a escolha em sua primeira viagem, mas não deixe de conhecer os dois destinos. Tanto a Chapada Diamantina como a Chapada dos Veadeiros têm suas peculiaridades e não podem realmente ser comparadas e nem substituídas.

Silas Barbi

Praticante de trekking, escalada, mergulho livre e profissional de marketing por formação. Acredita em mundo com menos rotina e mais aventura. Suas duas paixões são o Brasil e a Natureza e não é por acaso que o seu principal objetivo de vida é levar as pessoas para conhecer as belezas naturais do Brasil.