Monte Roraima o que fazer e pontos turísticos

Sétimo ponto mais alto do país (2.875 metros de altitude e quinze quilômetros de comprimento), o Monte Roraima está situado na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana e é um dos fenômenos naturais mais primitivos e impressionantes do mundo. Trata-se de uma espécie de elo perdido, pois seu tepui (tipo de monte em formato de mesa cujo topo é composto por formações rochosas esculturais, rios, cachoeiras, vales e até fauna e flora próprias) é estimado que tenha surgido há dois bilhões de anos atrás, e é inclusive possível observar a dimensão do poder do tempo a partir das fendas e abismos, encontrados em seu platô, que foram formados pela ação do vento e das chuvas. Mesmo estando em uma região remota da América do Sul e da dificuldade do trekking até o topo do Monte Roraima, atingir seu cume é uma gigante recompensa quando se tem a oportunidade de admirar algumas das mais belas e deslumbrantes paisagens e vistas panorâmicas do planeta.

  • O que fazer no Monte Roraima para se Aventurar

    1. El Fosso: Um dos locais mais incríveis do Roraima, consiste em um buraco com quedas d’água que leva à uma pequena caverna subterrânea formada por galerias e piscinas naturais. Para nadar em suas águas cristalinas e geladas, é necessário fazer uma trilha por dentro do buraco e descer pelas colunas das galerias subterrâneas que sustentam toda a sua estrutura.

    2. Pedra Maverick: Ponto mais alto do tepui, com mais de 2.800 metros de altura, oferece uma vista magnífica, mas deve-se fazer uma caminhada para chegar ao seu topo. Ganhou esse nome devido ao seu formato semelhante ao carro de mesmo nome.

    3. Salto Catedral: Essas altas formações rochosas, que tem uma vaga semelhança com uma catedral, abrigam cascatas, labirintos, piscinas naturais e uma cachoeira fechada dentro de uma espécie de gruta coberta de musgos e limos e que forma uma excelente hidromassagem natural para aqueles que não se importarem com suas águas extremamente geladas.

    4. Lago Gladys: Próximo à Proa, a três horas de caminhada do acampamento, é um dos pontos mais misteriosos e exotéricos da região, composto por rochas em seu entorno que, segundo os místicos e sensitivos, guardam muita energia. Ganhou esse nome em homenagem ao lago citado no livro “O Mundo Perdido”, inspirado no Monte Roraima e escrito por Arthur Conan Doyle.

    5. Proa: O cartão-postal do Roraima tem esse nome não só pela semelhança com a proa de um navio como também por realmente ser a parte da frente do Monte, o ponto mais distante ao lado norte, no território da Guiana. O acesso até lá é difícil, mas para quem encarar essa aventura ou para quem tiver a oportunidade de sobrevoar de helicóptero, será recompensado com a mais exuberante vista de todas.

  • O que fazer no Monte Roraima para Relaxar

    1. Flora e fauna: Uma das mais fascinantes atrações do Roraima é a observação de sua flora e fauna, que reúne espécies endêmicas como musgos, bromélias, plantas-carnívoras, pequenas árvores, e ainda diversas aves, insetos, lagartos e pequenos anfíbios.

    2. La Ventana
    : Mirante mais conhecido do tepui, fornece uma vista de tirar o fôlego de toda a região, da montanha vizinha ao Roraima e também de nuvens, dando uma incrível sensação de realmente estar no céu.

    3. Vale dos Cristais
    : Assim como o nome sugere, trata-se de um vale coberto por cristais de quartzo, um dos lugares mais encantadores e exóticos desse destino, onde pode-se observar as formações de pequenas esculturas pontiagudas de cristal se projetando em curiosos formatos entre abismos e fendas formados pela ação do vento e das chuvas.

    4. Jacuzzis
    : Essa é uma das áreas mais bonitas do Roraima, que consiste em uma sequência de poços naturais cobertos por cristais de quartzo e de águas geladas, muito cristalinas e de tons levemente amarelados devido às rochas da piscina e seus sedimentos, mas são perfeitas para um banho bem refrescante e relaxante.

    5. Ponto Triplo: Este é o marco piramidal encravado no topo de três faces, com o nome de cada país (Brasil, Venezuela e Guiana) em cada lado, demarcando o limite da tríplice fronteira. É apenas um ponto geográfico-político, mas é possível observar também no local algumas formações rochosas bastante curiosas, típicas do Roraima.