OFERTAS BLACK FRIDAY
5 caminhadas clássicas para fazer no Peru
27/03/2018

5 caminhadas clássicas para fazer no Peru

Foto da Capa: Bill Damon


O Peru é um dos países mais exóticos e interessantes do mundo – além de contar com uma rica história e ter cultura de sobra, as paisagens que existem por lá são de tirar o fôlego, pois vão desde belíssimas lagoas cristalinas emolduradas por imensos cânions que chegam a 100 quilômetros de extensão, até imponentes montanhas coloridas e vulcões ainda ativos. Por esses motivos, o Peru é destino perfeito para se aventurar em um trekking cênico e impressionante, já que suas belezas naturais são capazes de surpreender até um viajante com muita experiência. Conheça abaixo as cinco caminhadas mais clássicas e deslumbrantes para fazer no país:

  1. Inca

    Começamos, é claro, com o trekking mais clássico e tradicional para chegar a Machu Picchu – a trilha Inca. Existem algumas opções diferentes para essa caminhada (algumas mais curtas que cortam caminho e, por isso, diminuem a duração para apenas dois dias ou até mesmo duas horas!), mas a mais famosa e realmente clássica (e que não corta caminho nenhum, desta forma, você pode conhecer todas as belíssimas paisagens e atrações do percurso) é a que dura de quatro a cinco dias e tem início em Piscacucho – ou o km 82 da ferrovia para Machu Picchu – e, portanto, possui um grau de dificuldade um pouco mais alto, sendo considerado de moderado a difícil, principalmente devido à altitude, que chega a mais de quatro mil metros, e pelas pernoites, que são feitas em barracas em áreas de acampamentos.


    Machu Picchu - Foto: Esmée Winnubst

    Ainda assim, para quem quer ver de perto as riquíssimas história e cultura peruanas e conhecer os seus cenários consagrados e místicos que parecem ter saído de um filme, a trilha Inca é a melhor opção de rota e lhe retribuirá por todo seu esforço físico com vistas extremamente incríveis dos sítios arqueológicos de Runkurakay e de Inti Punku (conhecido como a Porta do Sol), das ruínas de Llactapata e de Llulluchapampa, da montanha Warmiwañusca e de muitos outros até chegar ao destino final – o espetacular Machu Picchu.


    Inti Punku (a "Porta do Sol") - Foto: McKay Savage

  1. Lares

    Esse é provavelmente o trekking mais “tranquilo” da lista, pois apesar de ter duração de três a quatro dias e poder chegar a mais de quatro mil metros de altitude, existem incríveis lodges ao longo do percurso que hospedam exclusivamente as pessoas que fazem essa trilha e ainda oferecem vistas espetaculares e serviços de jacuzzi e banhos de águas termais, providenciando todo o conforto para que você possa descansar após um longo dia de caminhadas e lhe preparar para o próximo dia. Além disso, tem um nível de dificuldade considerado de fácil a moderado, já que a maior parte do trekking não é tão exigente e passa por comunidades tradicionais onde povos andinos vivem há séculos, sendo possível encontrar boa infraestrutura turística.


    Trilha Lares - Foto: McKay Savage

    A trilha Lares, que se trata de uma rota alternativa à trilha Inca, tem início em Cusco e percorre o famoso Vale Sagrado dos Incas, nos Andes peruano, até chegar a Machu Picchu; durante o caminho, você não só verá paisagens de tirar o fôlego, como das montanhas de Chicon, Pitusiray, Sahuasiray e Veronica (essa sendo a montanha mais alta da Cordilheira de Urubamba) e dos seus impressionantes lagos cristalinos, mas verá também sua riquíssima história presente em todo seu arredor, desde os sítios arqueológicos até as vilas indígenas.


    Pôr-do-sol na montanha Sahuasiray - Foto: McKay Savage

  1. Salkantay

    Outra famosa rota alternativa à trilha Inca – tendo sido nomeado um dos 25 melhores trekkings do mundo – a Salkantay é um dos picos nevados mais altos e bonitos do Peru, com mais de seis mil metros de altitude e descortinando uma vista deslumbrante de outras montanhas ao redor, como a de Humantay e sua belíssima lagoa. A trilha começa às margens desse imponente monte, situado em Cusco, e percorre por quatro a cinco dias (são cerca de 75 quilômetros de extensão) paisagens extremamente magníficas que poderão ser vistas de perto – inclusive, você ficará tão próximo das montanhas que conseguirá observar suas rochas, a neve em seus picos e todos os detalhes com total clareza.


    Montanha e Lagoa Humantay - Foto: Apollo

    Apesar de não ser considerada muito exigente (tem nível moderado), seu terreno é bastante pedregoso e é necessário também atravessar algumas partes mais selvagens como matas fechadas de um pedaço de selva peruana – o que, juntamente com a altitude da trilha e da montanha, é um grande fator que contribui para a queda de temperatura durante o percurso, portanto, é importante saber o que levar consigo, principalmente porque quase todas as pernoites são feitas em áreas de acampamento com barracas. No entanto, nos últimos dias do trekking, você poderá descansar e recarregar as energias nas deliciosas águas termais em Santa Teresa antes de continuar o trajeto até Águas Calientes, que é a vila mais próxima das ruínas de Machu Picchu.


    Águas termais de Santa Teresa - Foto: Esme_Vos

  1. Circuito Huayhuash

    Considerado um dos mais bonitos e mais desafiadores trekkings do Peru e até do mundo – principalmente por conta de sua extensão (cerca de 120 quilômetros), sua altitude (pode chegar a mais de cinco mil metros) e sua duração (dois dias de aclimatação + seis a oito dias de caminhadas) –, esse circuito percorre todo o arredor da Cordilheira Huayhuash, que fica situada ao sul da cidade Huaraz e da Cordilheira Blanca, e de suas diversas e imponentes montanhas, algumas que chegam a mais de seis mil metros de altura. Além disso, o trekking também inclui ao longo de seu percurso apenas áreas para acampamentos em barracas e, durante à noite, a temperatura pode cair bastante, portanto, é importante levar roupas quentes e confortáveis e quaisquer remédios ou outros itens que você possa precisar, pois a região é extremamente remota e não há nenhum tipo de infraestrutura turística durante o trajeto.


    Cordilheira Huayhuash - Foto: Jenny Salita

    No entanto, todas as dificuldades ficam para trás quando você se depara com seus cenários cinematográficos, que podem ser vistos do primeiro ao último dia, tanto nas trilhas quanto do acampamento, como os picos nevados de Siulá, Carnicero, Yerupajá, Jurau, Trapecio, entre outras, e principalmente as magníficas lagunas (ou lagoas) Quesillococha, Siulá e Gangrajanca.


    Lagunas - Foto: Paulo Tomaz

  1. Choquequirao

    Localizada em Cusco e vizinha de Machu Picchu, essa foi uma das últimas cidades que serviu como refúgio aos Incas dos Espanhóis – por isso, suas ruínas estão entre as mais preservadas do Peru. Apesar de estarem situadas próximas uma da outra, inclusive sendo consideradas pelos peruanos como irmãs, o trekking que leva até Choquequirao é muito diferente do trekking para Machu Picchu, pois além de apresentar um grau mais alto de dificuldade – são aproximadamente quatro dias de caminhada para completar 65 quilômetros –, também não existem transportes para “cortar” caminho como em Machu Picchu.


    Trilha Choquequirao - Foto: Danielle Pereira

    No entanto, suas incríveis e espetaculares paisagens poderão ser vistas desde o início até o último ponto da trilha, como imponentes cânions e montanhas, os picos nevados de Padrayoc e Wayna Cachora, o Rio Apurímac, a Plaza Mayor (lar de suas construções mais bem preservadas, incluindo um templo e a moradia real) e, se tiver sorte, poderá ver até mesmo alguns animais silvestres. Além disso, as áreas de camping que existem ao longo do trajeto também facilitam o trekking em si, pois são confortáveis e ideais para acampar e descansar antes de outro dia de caminhadas – tudo isso fará com que qualquer sacrifício e esforço físico valha muito a pena.


    Rio Apurímac - Foto: NeilsPhotography
Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonitos do mundo.