OFERTAS BLACK FRIDAY
As montanhas do Parque Nacional de Itatiaia
23/06/2017

As montanhas do Parque Nacional de Itatiaia

O Parque Nacional do Itatiaia, localizado na grandiosa região da Serra da Mantiqueira, não só é o primeiro parque nacional do Brasil, mas é também um dos melhores lugares para a prática de esportes de aventura, como trekking e montanhismo, pois abriga alguns dos mais altos pontos do país. Por se tratar de uma área bastante extensa (se estende do Rio de Janeiro até Minas Gerais e sua divisa com São Paulo) com inúmeros atrativos, ela é dividida em duas partes – a alta e a baixa, sendo que as montanhas (algumas fáceis de se atingir o cume e outras que são um pouco mais desafiadoras) estão todas situadas na parte alta.

Depois de ler o post, clique e conheça as viagens do Desviantes para as Montanhas do Itatiaia

1. Pico das Agulhas Negras
Esse é o ponto mais alto do estado do Rio de Janeiro e o quinto maior do Brasil, com cerca de 2.790 metros de altitude, e, por isso, se trata de um trekking desafiador, cuja trilha possui onze quilômetros (ida e volta), podendo levar de três a quatro horas (são 45 minutos de caminhada moderada até sua base e, então, duas a três horas de subida íngreme e pedregosa até o cume).



No entanto, todo esforço feito para completar o percurso é recompensado com uma vista de tirar o fôlego – o visual de 360º descortina uma paisagem espetacular das outras montanhas do Parque (como o Maciço das Prateleiras e o Morro do Couto), da Serra Fina ao fundo e ainda do Pico do Papagaio, em Minas Gerais.



2. Maciço das Prateleiras
Situado próximo ao Pico das Agulhas Negras, esse “maciço” é constituído por uma formação de blocos de curiosas rochas de diferentes tamanhos e que ficam encostadas umas às outras, o que faz com que se pareçam com prateleiras – daí a origem de seu nome. A montanha tem cerca de 2.540 metros de altitude, e por ser um trekking relativamente rápido, sendo apenas dez quilômetros (ida e volta) e duas a três horas para alcançar o topo, seu grau de dificuldade é de fácil a moderado, pois, apesar de se tratar de uma trilha bem demarcada, o trecho final envolve subir entre os largos blocos de rochas.



Uma vez no cume, a visão é extremamente ampla e impressionante, sendo possível ver as pedras da Maçã, da Tartaruga e Assentada (todas que fazem parte do Parque), todo o Vale do Paraíba e ainda exuberância das montanhas da Serra Fina.



3. Morro do Couto
Segunda montanha mais alta do Parque de Itatiaia e 9º maior montanha do Brasil, com 2.680 metros de altitude, o Morro do Couto possui um dos acessos mais simples e pode ser uma excelente opção para os iniciantes do trekking. Apesar de alta, o trajeto tem apenas cerca de seis quilômetros, levando uma hora e meia para chegar ao topo a partir do estacionamento.


Foto: Rodrigo Macedo

Além disso, é considerado um dos locais mais bonitos da região, onde pode-se observar do cume e também durante a trilha uma vista muito ampla e belíssima do Vale do Paraíba, do Vale do Rio do Salto, da Pedra da Capivara e do Pico das Agulhas Negras.


Foto: Kellfe Summit Post

4. Pedra do Altar
Também conhecida como Morro do Altar, essa formação rochosa, com seus 2.665 metros de altitude, é a 11º mais alta montanha do Brasil, mas seu tamanho não significa que você terá dificuldade para chegar ao seu topo – muito pelo contrário, pois esse é, na verdade, um dos percursos mais tranquilos. Segue-se pela mesma trilha que das Agulhas Negras e tem quase a mesma extensão (são doze quilômetros de ida e volta), mas a diferença das duas é que a da Pedra da Alta é muito simples, sendo uma caminhada leve, sem obstáculos e muito bem sinalizada, além de contar com diversas vias de acesso.



Do cume, pode-se ter uma belíssima vista logo de frente do Pico das Agulhas Negras e, ao redor, do Maciço das Prateleiras, do Morro do Couto e da Pedra do Sino, entre outros.



5. Pedra do Sino
Com 2.670 metros de altitude, essa é a 13ª montanha mais alta do país e terceira montanha mais alta do Itatiaia, ficando atrás apenas do Pico das Agulhas Negras e do Morro do Couto. Como fica situada perto das Agulhas Negras e logo atrás da Asa de Hermes, a vista principal que se tem de seu cume é dessas duas montanhas e também da Pedra do Altar, mas para chegar até lá será um tanto difícil, pois além do trekking de doze quilômetros (ida e volta), há o fato de que a área em que está situada é um pouco remota, fazendo com que seja um dos locais menos visitados e que não exista uma ótima sinalização na trilha.


Foto: Marcelo Garcia

Ainda assim, vale muito a pena encarar o desafio, pois caminhar no topo da Pedra do Sino é uma experiência fascinante, já que é formado por pequenas crateras que se parecem com as da Lua.


Foto: Helton Perillo

6. Asa de Hermes
Com um pouco mais de 2.600 metros de altitude, essa montanha é uma curiosa formação rochosa por conta de uma pedra, próxima ao seu cume, que realmente lembra a mesma “asa” que Hermes usava em seu calcanhar, segundo a mitologia grega. Para chegar à essa asa (que fica equilibrada sobre um bloco de rocha e dá impressão que ela vai escorregar), segue-se por um percurso paralelo à da Pedra do Altar, sendo onze quilômetros de ida e volta e cerca de cinco horas para alcançar o topo, mas é preciso tomar cuidado na hora da subida, será necessário atravessar um riacho para chegar à base da montanha, o que pode fazer com que o terreno fique mais úmido e escorregadio. Já lá em cima, você terá uma vista bem próxima e clara do Pico das Agulhas Negras, de partes do Maciço das Prateleiras e da Pedra do Altar, e também de alguns outros atrativos do Parque de Itatiaia.

  Quer conhecer uma das montanhas? Entre e conheça as viagens do Desviantes para essas Montanhas

Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonitos do mundo.