As inacreditáveis cachoeiras da Chapada Diamantina
02/08/2016

As inacreditáveis cachoeiras da Chapada Diamantina

Foto de Capa: Fred Schinke

Não é nenhum exagero dizer que um dos lugares mais exuberantes do Brasil inteiro é o parque da Chapada Diamantina. Protegendo uma área de mata atlântica, flora e fauna riquíssimas e formações de bilhões de anos, essa região de serras possui paisagens de tirar o fôlego – são milhares de quilômetros de paredões e desfiladeiros, grutas e cavernas, cânions, lagos e rios de águas cristalinas, mirantes, vales, entre muitos outros encantos naturais capazes de deslumbrar e encantar qualquer um. E se tem uma coisa que você vai conhecer em uma visita, serão as belas cachoeiras da Chapada Diamantina.

As opções são inúmeras, algumas de fácil e outras de mais difícil acesso, algumas que formam piscinas naturais com águas mornas ideais para banhos e outras com águas mais geladas, algumas menores e outras de tamanhos incríveis – mas todas esbanjando muita beleza e imponência. Para saber um pouco mais sobre elas, nós reunimos algumas das principais cachoeiras na Chapada Diamantina para que você possa decidir quais irá querer visitar primeiro.

Você pode conhecer essas cachoeiras viajando para a Chapada Diamantina com os pacotes do Desviantes.

1. Cachoeira da Fumaça
A principal cachoeira da Chapada Diamantina e a segunda maior do Brasil. Ela possui uma queda d’água de quase 400 metros que jorra de um imenso paredão. Por causa de sua altura, é formado um tipo de cortina de vapor que levanta com o vento, dando a impressão de fumaça – foi daí que veio seu nome. A cachoeira pode ser acessada de duas maneiras: por cima, em uma trilha de seis quilômetros na ida e mais seis na volta, onde você irá observar sua queda do topo; ou por baixo, em uma trilha que exige um pouco mais de preparo físico, pois possui vinte quilômetros e dura até três dias para completar, mas que vale muito a pena, pois, ao final, você poderá se banhar em seu poço, um dos mais belos de toda a região.



2. Cachoeira do Mosquito

Cachoeira bela e de fácil acesso, a Cachoeira do Mosquito tem 60 metros de altura e você pode entrar em baixo de suas quedas. Em sua base existe um pequeno poço, onde se pode nadar e relaxar após a caminhada. De primeira, uma cachoeira com esse nome pode parecer um lugar cheio de mosquitos, mas não se preocupe, ela recebeu esse nome por causa da mineração. Conta a história que nesse local eram encontrados apenas diamantes muito pequenos, chamados de “mosquitos” e por isso a origem do nome. A Cachoeira do Mosquito é melhor visitada a partir de Lençóis, fica a 40 km do centro da cidade. Para chegar até seu poço, você desce por uma trilha de aproximadamente meia hora.



3. Cachoeira da Fumacinha

Com uma queda de cerca de 100 metros de altura, é uma das cachoeiras mais bonitas de toda a região, mas, ainda assim, não se encontra muitos visitantes por lá devido à dificuldade de sua trilha. Para conhecê-la por baixo e nadar em seu poço, é preciso fazer uma intensa caminhada que pode durar até dois dias, dependendo do local da sua saída, mas que faz valer a pena pelo fato de poder ver diversas outras cachoeiras e poços no caminho. Já a trilha por baixo tem apenas nove quilômetros na ida e mais nove na volta, feita no leito do rio através do Cânion da Fumacinha.


Foto: Bart van Dorp

4. Cachoeira do Buracão
Considerada uma das mais deslumbrantes e entre as mais visitadas Cachoeiras da Chapada, essa cachoeira possui uma queda de quase 100 metros e está situada em um cânion sinuoso de 90 metros de altura e três metros de largura. A caminhada até lá é fácil, levando apenas uma hora e passando por belas paisagens de outras cachoeiras, piscinas naturais e um conjunto de poços, e, ao final da trilha, há duas maneiras de ver a queda d’água de frente: atravessar uma pinguela em um caminho estreito entre os paredões ou então nadar até lá (os guias oferecem coletes salva-vidas).



5. Cachoeira Poço do Diabo

Formada pelas águas do rio Mucugezinho, essa cachoeira não é das mais altas, tem apenas 20 metros de altura, mas o que chama a atenção é o seu poção, realmente muito grande e ótimo para nadar. Essa é uma das cachoeiras da Chapada Diamantina com maior infraestrutura, nas margens do rio existem restaurantes, lojinhas de artesanato e lanchonetes. Para visitar a cachoeira, é fácil, são 18 km partindo de Lençóis e mais uma trilha de nível leve de aproximadamente 20 minutos. Para quem gosta de se aventurar, no local há rapel e tirolesa, para dar uma dose extra de emoção na visita.


Foto: Rosanetur

6. Cachoeira do Sossego
Essa cachoeira, com uma queda de quinze metros, está situada logo depois de um cânion de vinte metros de altura e se divide em duas partes: na primeira, suas águas jorram sobre degraus de arenito; na segunda, são dez metros de queda livre que caem diretamente em um largo e profundo poço de águas geladas, mas extremamente cristalinas. A trilha para chegar até ela não é muito longa, com sete quilômetros de percurso que pode ser feito em até três horas, mas não é das mais simples, uma vez que envolve uma caminhada íngreme e muitas pedras e rochas conglomeradas.



7. Cachoeirão

A quarta maior do Brasil e a segunda maior cachoeira da Chapada Diamantina, com 270 metros, está localizada no meio da travessia do Vale do Pati, considerada uma das mais belas do país. Na época de chuvas, sua única queda se multiplica e forma várias outras quedas a partir de seu paredão, lembrando uma cortina d’água, que jorra em um imenso e profundo poço em formato de coração. A trilha é um pouco árdua, com 19 quilômetros no total de terreno rochoso que inclui muitas subidas e descidas dentro da mata.



8. Cachoeira do Mixila
Localizada no cânion do rio Capivari, essa cachoeira, de 80 metros de altura, é ainda pouco explorada, apesar de ser uma das mais belas e exuberantes de todas da Chapada Diamantina. Quem costuma visitá-la são os verdadeiros fãs de aventura, pois a trilha até ela é uma das mais difíceis – é preciso passar por paredões, matas ciliares preservadas e um dos cânions mais estreitos da região, e ainda atravessar dois poços a nado até alcançá-la. Pode ser feita em um dia, mas a maioria dos guias aconselham fazer em dois dias não apenas por ser cansativo, mas também porque há muitas paisagens para ver e outras cachoeiras para conhecer no caminho.


Foto: Gabriela Amorin


  Conheça os pacotes de viagem para a Chapada Diamantina do Desviantes

Flavio Nodomi

Praticante de mergulho autônomo, trekking e escalada. Amante de fotografia, viagem e natureza, já viajou para diversos países e cidades brasileiras registrando em fotos alguns dos cenários naturais mais bonitos do mundo.