A arte do Capim Dourado no Jalapão
06/06/2016

A arte do Capim Dourado no Jalapão

Foto de Capa: Vagner T. Cassimiro

O capim dourado (Syngonanthus nitens) é uma espécie de sempre-viva, e, portanto, apesar de seu nome, não é exatamente um capim. Existente em todo Cerrado brasileiro, mas originário do Jalapão, ao norte do Brasil, é usado para fazer artesanatos, como vasos, cestas, chapéus, peças de decoração, brincos, etc., e inicialmente chamou atenção devido à sua cor dourada.

Para que não entre em extinção e ainda para visar sua sustentabilidade social, ambiental e econômica, o capim dourado é protegido por leis que regulamentam o modo e a época de colheita, que ocorre entre 20 de Setembro a 20 de Novembro. É também proibido sua retirada “in natura”, o que significa que só pode ser colhido maduro e em peças já produzidas pela comunidade local, uma vez que a retirada do capim ainda verde prejudica sua espécie e torna sua regeneração impossível.

 

Capim Dourado "in natura" antes da colheita - Foto: Daniel Zilenovski

Apesar de sua primeira aparição como artesanato ter sido em 1993, acredita-se que a tradição de sua produção tenha se iniciado muito antes disso em uma comunidade de descendentes de escravos chamada Mumbuca, quando uma mulher aprendeu a usar o capim dourado com os índios que moravam por aquela região. Hoje em dia, a maioria das comunidades locais do Jalapão produzem artesanatos com a planta, sendo sua principal fonte de renda.

Casa de Artesanato na comunidade Mumbuca

Para se ter uma noção do quanto o capim dourado e suas peças artesanais se tornaram tão valorizadas e populares, agora ele não é conhecido apenas no Brasil, mas também ganhou fama ao redor do mundo. Com o incentivo do governo do estado de Tocantins e após uma consulta à comunidade de Mumbuca, estas peças foram transformadas para serem compatíveis com o mercado, e, atualmente, seu maior foco de venda é para exportação.

Interessado no Jalapão? Conheça os pacotes de viagem do Desviantes para o Jalapão

A procura pela arte feita da planta dourada se tornou tão grande que turistas começaram a viajar até o Jalapão para adquirir o artesanato, levando também um grupo de artesãs de Mumbuca a criar, em 2000, a Associação Capim Dourado, com o intuito de organizar e estimular a comercialização e também de tornar a área em que vivem as 22 comunidades em Reserva de Desenvolvimento Sustentável para promover a conservação do Cerrado.

Artesã da Comunidade Mumbuca

Esta alta demanda, que ajudou com a consolidação desta prática artesanal como fonte de renda, juntamente com o incrível cenário do Parque Estadual do Jalapão, composto por cachoeiras de águas cristalinas, piscinas naturais, cânions e dunas de até 40 metros de altura, e as atividades, que incluem rafting, mergulho e trilhas, tornam o Jalapão um dos destinos mais fantásticos para se conhecer no Brasil. Conheça a melhor época para ir ao Jalapão e os incríveis fervedouros do Jalapão.

Silas Barbi

Praticante de trekking, escalada, mergulho livre e profissional de marketing por formação. Acredita em mundo com menos rotina e mais aventura. Suas duas paixões são o Brasil e a Natureza e não é por acaso que o seu principal objetivo de vida é levar as pessoas para conhecer as belezas naturais do Brasil.